Gira Circuito Cultural mobiliza R$ 180 mil para projetos culturais locais

07/04/2014
gira-circuito-01.jpg

Eros Trovador, Leandro Morais e Walquíria Wal em apresentação musical durante o Luau do Gira, em setembro de 2013, na Praça da Liberdade, em Iporá-GO - fotografia: Adriane de Jesus

Produtores aprovaram quatro projetos de incentivo à cultura em 2013. O Gira Circuito Cultural, circuito das artes de Iporá e região com ligações em Goiânia, Brasília e Rio de Janeiro, aprovou em 2013 quatro projetos artísticos apresentados em seleções de incentivo à Arte e Cultura. Por meio da Lei Goyazes, o circuito aprovou o projeto “Gira das Cores – segunda temporada do Gira Festival de Arte”, prevista para setembro deste ano. Também para a Gira das Cores, o circuito aprovou outro projeto no Fundo de Arte e Cultura de Goiás, que divulgou seu resultado na última semana. Por este mesmo edital, o circuito viabilizou ainda a aprovação de outros dois projetos: “Música de Sarau – Poéticas Visuais”, que prevê a produção de seis videoclipes de Eros Trovador para músicas de seu CD de mesmo nome; e o projeto “Gira Circuito de Produção Cultural”, que garante a continuidade do trabalho de produção artística e cultural conduzido por Eros Trovador e Walquíria Wal em 2013, com a realização de um processo de formação continuada em produção cultural e uma articulação contínua das produções culturais Em 2013, a comunidade de Iporá presenciou o nascimento do Gira Festival de Arte. O festival nasceu da mobilização conduzida por Eros Trovador e Walquíria Wal, produtores culturais e artistas da cidade, que junto com uma rede colaborativa de cerca de 15 agentes culturais locais levaram aos palcos mais de 100 artistas do Oeste Goiano. Com o apoio principalmente do comércio local, aconteceu em novembro de 2013 a “Gira da Cidade”, primeira temporada do festival que contou ainda com a participação de 20 outros artistas de Goiânia e Brasília.


Em um processo contínuo de produção, os produtores, agentes culturais, artistas e comunidade viram aquilo que era somente um festival se transformar em um circuito cultural vivo e atuante. Foram várias edições do Luau do Gira, mais de 30 oficinas artísticas e culturais, reuniões criativas que fortaleceram a proposta do Gira, que ao longo de um ano de produção se transformou no Gira Circuito Cultural e que, além do festival, conta hoje com uma agenda periódica de eventos culturais na cidade e um processo de articulação dos artistas e agentes culturais de Iporá e região que tem revelado constantemente novos talentos.


O projeto “Gira Circuito de Produção Cultural”, prevê R$ 50 mil para a realização de residências artísticas de artistas de outras regiões em Iporá; um processo de formação gratuito em produção e projetos culturais a ser oferecido gratuitamente à comunidade; e garante a continuidade do trabalho de articulação artística e cultural realizado por Eros Trovador e Walquíria Wal, produtores artístico e executiva do Circuito. O recurso será liberado após etapa de avaliação documental, divulgação do resultado final da seleção e assinatura de contrato.


Já o projeto “Gira das Cores – segunda temporada do Gira Festival de Arte” foi aprovado em dois diferentes editais: na Lei Goyazes, que prevê R$ 70 mil, e no Fundo de Arte e Cultura de Goiás, que prevê R$ 30 mil para a realização dos dez dias de temporada previstos para setembro deste ano. A temporada do festival tratará da diversidade cultural, racial, social, artística, sexual, de gênero, pessoas com deficiência e outras expressões da diversidade humana em diferentes manifestações artísticas, com programação centralizada em Iporá e produção artística envolvendo ainda os agentes culturais de Israelândia, Jaupaci e Diorama. Por meio dos dois projetos aprovados, serão realizados 10 diferentes eventos, diversos espaços de convivência, debate e formação artística e cultural. Mais uma vez, o festival levará aos palcos mais de 100 artistas locais e cerca de 50 artistas de outras regiões. O recurso do Fundo de Arte e Cultura de Goiás será liberado após a etapa de avaliação documental, divulgação do resultado final da seleção e assinatura de contrato. Já o recurso da Lei Goyazes será liberado após o patrocínio de empresas que contam com a possibilidade de dedução de impostos para incentivo a projetos culturais.


O Gira Circuito Cultural tem fomentado também o desenvolvimento de projetos dos artistas que compõem a rede do circuito. Exemplo desse caminho de produção cultural, o projeto “Música de Sarau – Poéticas Visuais”, do músico e poeta Eros Trovador, prevê R$ 30 mil para o desenvolvimento de seis videoclipes para as músicas do seu CD já gravado, Música de Sarau. Parte das imagens que irão compor os videoclipes serão gravadas em atrativos turísticos naturais do Oeste Goiano. O recurso do Fundo de Arte e Cultura de Goiás será liberado após a etapa de avaliação documental, divulgação do resultado final da seleção e assinatura de contrato.


TOCA – PROJETOS CRIATIVOS


O resultado da seleção do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, com a boa notícia dos três projetos orientados pelo Gira Circuito Cultural aprovados, aconteceu na mesma semana em que Eros Trovador e Walquíria Wal abriram as portas da “Toca – Projetos Criativos”, uma agência cultural que além de continuar trabalhando na produção direta do Gira Circuito Cultural ainda orientará a produção de projetos de variados artistas.


Atualmente, a Toca trabalha na estruturação de cerca de 15 outros projetos artísticos e culturais. Além de projetos para eventos do próprio Gira, são desenvolvidos projetos de gravação de CD, realização de espetáculo de dança, projetos de Literatura, Artesanato, Turismo e Cultura Popular. A Toca, que também pretende ser um espaço de convivência dos agentes culturais de Iporá e região, fica na Rua Z, entre as avenidas Dr. Neto e XV de Novembro, atrás do Lago Pôr do Sol.

  • Eros Trovador, Leandro Morais e Walquíria Wal em apresentação musical durante o Luau do Gira, em setembro de 2013, na Praça da Liberdade, em Iporá-GO - fotografia: Adriane de Jesus
  • Eros Trovador, produtor artístico do Gira Circuito Cultural, e Neivan Muniz, músico e colaborador do Gira, em apresentação no Encontrão do Gira, em março de 2013, na Câmara de Vereadores de Iporá - fotografia: Diijack Fotografias
  • Daya Gomes, Evaristo Neto e Vívia Greice na Universidade das Quebradas, processo de formação produzido pelo Gira Circuito Cultural durante a Festa de Maio de 2013 - fotografia: Adriane de Jesus
  • Cleomar Rocha, diretor do MediaLab UFG e colaborador do Gira, e Walquíria Wal, produtora executiva do Gira Circuito Cultural em apresentação na Universidade das Quebradas, processo de formação produzido pelo Gira Circuito Cultural durante a
  • Moizéis Alexandre, Lázaro Faleiro, Luciana Recart e Eros Trovador, agentes culturais locais, em bate-papo na Prosa Cultural, evento produzido pelo Gira durante a temporada Gira da Cidade, no Centro de Abastecimento de Iporá, em novembro de
  • Roseli de Assis, atriz, dançarina e colaboradora do Gira, em performance durante o Luau do Gira, em setembro de 2013, na Praça da Liberdade, em Iporá-GO - fotografia: Diijack Fotografias
O que achou dessa Notícia?
8 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

1 comentário

  • Zezinho Divino José 07/04/2014

    Nossa que ótima notícia.Fiquei feliz. Os organizadores do Gira são muito competentes, eles/elas merecem e claro a população toda ganhará com aprovação desses projetos. É mais cultura na vida das pessoas de nossa região.

Comente