Apotheose com nova programação

31/07/2013



SOBRE O ARTISTA QUE ESTÁ HOJE EM IPORÁ


Depois de anos no Nashville, que depois virou Nechivile e depois Nashville de novo, Eduardo Melo se lançou em carreira solo há algum tempo. Ontem, em Goiânia, aconteceu a gravação de seu primeiro DVD solo. E mais uma vez o Blognejo esteve presente, acompanhando mais um evento como convidado especial. Este contou com algumas grandes surpresas.


O DVD foi gravado no Jaó, ou Sol Music Hall. Na verdade é tudo uma coisa só. O que observamos na chegada ao evento foi que o público do Eduardo Melo é de fato mais popularesco. Aparentemente, ele é um artista mais de povão do que se pensava, apesar do seu estilo pender mais para o universitário. Em resumo, o que eu notei ontem foi que o público dele é de fato mais parecido com o do Eduardo Costa, só para citar um exemplo, o que garante a ele uma fidelidade maior dos fãs.


A produção visual do DVD ficou a cargo da Terra Produções, com o auxílio de um cenógrafo egresso da Hit Music, que cuidou do conteúdo dos painéis de LED. A concepção geral do cenário, incrível por sinal, ficou a cargo do Robson Rapoza e do Adriano Augusto. O palco, além de ter sido estendido, ganhou uma passarela e um palco secundário um pouco mais à frente, tomando quase que praticamente todo o espaço da casa. Os telões subiam e desciam conforme a necessidade e os eventos de cada música. Além, claro, de muuuuuita luz em todo o espaço do palco e acima dele.


Quem produziu o disco foi o Guilherme Bicalho, que já trabalhava com o Eduardo Melo desde os primórdios do Nashville/Nechivile. Recentemente, ele produziu o DVD da dupla João Lucas & Marcelo, mas desta vez ele não deixou o microfone aberto como naquele, passando as instruções para a banda e artistas durante todo o show e deixando o público meio que sem entender nada. Permitiu que o show rolasse normalmente, com algumas repetições e paradas apenas.


O show começou com o atraso habitual das gravações de DVD. Antes do início da gravação, o Cuiabano Lima realizou sua tradicional introdução. Desta vez, no entanto, o ritual do Cuiabano ganhou no final um tom de desabafo. É que não se fala de outro assunto em Goiânia que não os problemas que aconteceram em Caldas Novas durante o Caldas Country, festa da qual o Cuiabano Lima é locutor oficial desde o começo. Ele aproveitou o microfone para criticar aqueles que apontam o evento Caldas Country como o responsável pelos problemas da cidade. E ressaltou, assim como fizemos aqui no Blognejo, que isso é responsabilidade das autoridades e não do evento em si. E ainda citou como exemplo a festa de Barretos e os problemas da avenida 43.


Feito o desabafo, o show pôde começar, com o telão transmitindo uma produção prévia com o Eduardo Melo se deslocando, de limusine e depois de helicóptero, até o local do evento. Encerra-se a transmissão, o telão do meio se eleva e ele adentra o palco com a mesma roupa do final do vídeo.


A primeira participação da noite foi a da dupla Guilherme & Santiago, que cantou uma daquelas vaneiras típicas de seus trabalhos. O Leonardo participou do DVD cantando a guarânia “Confissão”, recentemente lançada pelo Eduardo Melo. Para evitar falhas, desta vez o Leonardo deixou sua participação previamente gravada e apenas dublou durante o DVD. “Nossa, Marcão, que absurdo!!!“. Nem tanto, minha gente. Isso na verdade é bem mais comum do que se pensa. E aliás, facilita demais o trabalho. Tanto que a música foi gravada com total tranquilidade, com apenas uma repetição para assegurar as imagens.


Depois da participação do Leonardo, no meio da gravação, de surpresa, o Marrone é chamado ao palco apenas para dizer algumas palavras ao público. O Eduardo Melo aproveitou e pediu que ele cantasse. No improviso, Marrone cantou “24 horas de amor”.


Mais tarde, foi a vez da dupla Di Paulo & Paulino gravar sua participação, com o Paulino tocando viola caipira na introdução da música “Não aprendi dizer adeus”, regravação da dupla Leandro & Leonardo. A programação era uma, mas aparentemente ela foi mudada quando, de surpresa e sem aviso, o Leonardo entrou cantando a segunda parte, desta vez ao vivo, acompanhado do Marrone, este sem microfone. Acho que nem o Eduardo Melo sabia dessa surpresa. Di Paulo & Paulino acabaram cantando apenas um trechinho no final da música. A reação do público e o resultado obtido na música foram tão diferenciados que ela nem foi repetida. E pelo jeito vai assim mesmo para o forno com o DVD.


Algumas músicas depois, Cristiano Araújo participou do DVD cantando a música “Você vai ficar em mim”, já gravada por ele naquele primeiro DVD.


O que se viu na gravação ontem foi um repertório mais adequado à atual realidade, apesar de eu achar que as canções românticas são muito mais a cara do Eduardo Melo do que as agitadas. E ele gravou no DVD muitos arrochas, vaneiras e afins. As bailarinas, aliás, foram uma adição interessante à música “Bandida”, por exemplo. Mas no fim das contas, eu gostei bastante do que vi e ouvi.


Sempre considerei o Eduardo Melo um grande artista. Tem um timbre diferenciado, agrada a mulherada, tem uma presença de palco bastante peculiar. Não é do tipo que fica igual doido lá em cima, mas se sai muito bem e parece sempre ter um grande domínio do que está fazendo. Este DVD promete trazê-lo de volta de uma vez por todas ao circuito. Para quem foi um dos precursores do sertanejo universitário, é o mínimo que esperamos.

O que achou dessa Notícia?
3 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente