Iporaense destaca-se como franqueadora na área de salão de beleza. Ela virou reportagem no Maisgoiás e na Revista Exame

21/06/2022
marcia-queiroz21062022.jpg

Márcia Queiroz: Dona de um negócio que faturou R$ 25 milhões só em 2021

Saiu até na famosa revista Exame reportagem sobre o empreedimento inovador de uma iporaense. O Mais Goiás fez também matéria sobre o assunto. Segue o texto do veículo de informação em nosso Estado quanto a esta filha da terra com muita visão para o mundo dos negócios:


De feirante em Iporá para uma rede de salões de beleza em todos os estados do Brasil. Essa é a história de Márcia Queiroz, empreendedora sócia da rede de franquias Fast Escova. Com mais de 160 unidades comercializadas e 90 em operação em todo o Brasil, a empresa faturou R$ 25 milhões só em 2021.


Filha de uma família de feirantes, Márcia começou a trabalhar cedo na venda de verduras com os pais até que, aos 16 anos, mudou-se para Goiânia para estudar e iniciou sua trajetória de empreendedorismo. Ela trabalhou como gerente de vendas da Avon por oito anos, até que pediu demissão e começou seu próprio negócio.


Sua primeira iniciativa foi a criação do Instituto de Formação (IFOR), uma escola que oferece cursos livres na área da beleza. Em 2017, sua amiga entrou no negócio e, juntas, levaram o IFOR a todo o centro-oeste e a mais de 6 mil alunas desde a sua criação.


Neste período, Márcia e Michelle desenvolveram a rede Fast Escova. Ao portal Exame, elas afirmaram que identificaram a necessidade de um negócio na área da beleza que tivesse horários flexíveis e preços acessíveis. O primeiro investimento para a criação da rede foi R$ 60 mil. Entretanto, o valor para a abertura da primeira loja, no entanto, ficou em R$ 240 mil.


“Pegamos empréstimos para levantar o dinheiro porque acreditávamos no nosso trabalho. Começamos sem recursos financeiros, sem equipe adequada e sem condições para contratar. Nós fazíamos de tudo um pouco", disse Márcia.


A Fast Escova iniciou os trabalhos em outubro de 2018. O negócio foi concebido com o objetivo de ter pelo menos um profissional disponível para anteder que entra na loja. “Se uma cliente chegar e todos estiverem ocupados, ela já é encaminhada para o pré-serviço, que é a lavagem do cabelo, por exemplo. Tudo é dinâmico”.


Desde o início, a ideia das sócias era criar uma franquia, e isso não demorou para acontecer. Depois de três meses, a primeira unidade foi vendida e o negócio foi crescendo até que, em 2021 a rede cresceu cerca de 500% em relação a 2020.


Da redação do Mais Goiás, com informações de Portal Exame. Foto: Divulgação

O que achou dessa Notícia?
11 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente