Governo aceita pagar transportador de alunos a mais enquanto ponte sobre o Rio Claro está em obra

14/11/2021
2-05-por-quilometro-rodado14112021.jpg

Os alunos do município de Moiporá que frequentam escolas de Iporá não vão ficar sem aulas em razão de estar intransitável a ponte sobre o Rio Claro neste período em que está em obra. 


O Governo de Goiás, através da Secretaria Estadual de Educação, aceitou pagar aos transportadores de alunos a quilometragem a mais em razão da volta para se acessar outra travessia do Rio Claro, em ponte em outro local.


Os alunos estiveram alguns dias sem frequentar as aulas, uma vez que quem transportava não aceitou fazer o serviço sem acréscimo no pagamento. O transportador de alunos é remunerado por quilômetro rodado. Recebe dois reais e cinco centavos por cada quilômetro rodado, um valor que, segundo os transportadores, está há três anos sem reajuste. 


Os alunos retornam as aulas, mas em condições bem mais desconfortáveis. São dezenas de quilômetros a mais para chegar a escola, exigindo destes um tempo maior em ônibus, com mais cansaço e em prejuízo de melhores condições para a aprendizagem. 


Tudo isso em razão da demorada construção da metade da ponte sobre o Rio Claro, nas proximidades do povoado de São Sebastião do Rio Claro, que traz diversos problemas:


- Travessia perigosa de pedestre por não ter guarda mão.


- Longa distância para em automóvel movimentar-se entre os dois municípios de Moiporá e Iporá. 


É reconhecidamente importante a construção da metade iporaense da ponte sobre o Rio Claro, em esforço de produtores rurais, juntamente com a Prefeitura de Iporá. Mas lamenta-se que ao se projetar a obra, não pensaram nas dificuldades que viriam. Não foi feito um desvio, uma passarela sobre o rio, nem passagem provisória e nem sequer um guarda mão para os pedestres que queiram passar sobre os vãos da ponte em construção. 


Quem quiser ir de um lado a outro da ponte tem que se equilibrar em um vão, com grande risco para a vida, em razão da grande altura. Com isso, atualmente o isolamento é geral entre os dois lados divididos pelo Rio Claro.  Calcula-se que a ponte só ficará pronta em janeiro e até lá perdurará um isolamento que poderia ser evitado se tivessem tomado providências, pelo menos em favor dos pedestres.

O que achou dessa Notícia?
3 votos
*As manifestações de internautas não representam a opinião deste jornal e são de responsabilidade de quem as emitiu.

    Comente